7.2.13

Caixa para máquina de costura e minha avó


Minhas avós eram excelentes costureiras! Infelizmente não tive muito tempo de aprender muita coisa, mas as lembranças que tenho são as melhores possíveis. Principalmente da avó paterna, devido a proximidade que tínhamos.

Lembro de mim quando criança me acabando com os tesouros encontrados dentro dos armários que ela tinha no quarto onde costurava: caixas de botões, linhas, aviamentos, retalhos.... tantas brincadeiras com eles. Era uma das coisas que eu mais gostava, além, claro, dos pijaminhas de flanela que ela fazia para mim e meus irmãos, das roupinhas de bonecas que ela me ensinava a costurar a mão, isso eu tinha menos de 10 anos!

O tempo passou, eu cresci, mas minha paixão pela costura e por artesanatos não diminuiu, não mesmo. Se essa vontade de mudar as coisas, de inventar, ver o que é belo for genética, tenho certeza que puxei a minha vó!

Na casa dela tudo era arrumado, bonito, customizado. Acho que muita gente tem lembranças lindas com as avós, momentos que nunca mais voltarão, mas que não nos deixam um minuto sequer.

Minha avó era à frente! Patchwork?? Que nada, ela fazia colchas de retalhos lindíssimas, cortininhas para cozinha, almofadas de dar inveja. Não tinha um vasinho de planta dela que não fosse personalizado, seja com sementes de girassol (que ela tinha no quintal), com feijões, milho ou somente pintadinhos e desenhados. Cada almofada tinha uma arte diferente, fuxico, babado, toalhinha de croche costurada, ponto cruz.... e tudo combinava, tudo ficava bonito. Que saudades da Donamarela na verdade dona Maria Antonia, mas pra mim, não lembro porque, donamarela.

Sem contar que ela era VÓ com maiúscula mesmo, que cheirava nosso cabelo só pra dizer "que menina cheirosa" e quando ela não fazia, meu deus! Que tristeza!, mas era só firula, ela sempre nos chamava de cheirosos. Contava histórias, das mais malucas e engraçadas, lia livrinhos para nós, deixava a gente comer doce até não poder mais (sempre com potes de compotas cheinhos de várias frutas, biscoitinhos de limão), tudo sempre feito por ela, sem contar a gelatina, sempre tinha uma fruta lá presinha pra gente comer. Uma das lembranças que mais me marca até hoje foi um aniversário, que ela fez bolo de laranja com cobertura de limão pra mim. Deixou eu lamber toda tigela e ainda fez aquela mistura de manteiga com gema e açúcar que eu tanto pedia pra ela deixar eu comer!!! hahahaha

Com ela peguei gosto pela leitura, ela sempre lia a tarde, depois de cuidar da casa, do almoço do véio e da soneca (20 min ouvindo Saudade)

Queria só contar que herdei a máquina de costura dela, que é lá da década de 50/60 (eu acho), como o gabinete já não tinha salvação, comprei uma base, pintei lembrando da vó e aqui está um precioso bem, que levo para onde for.

Tantas lembranças ela me traz.



Um comentário:

Simone Lima disse...

Boa tarde! Li sua publicação e lembrei da minha infância também. Tempos que não voltarão jamais... Gosto muito de trabalhos manuais e atualmente estou mergulhando na costura. Herdei uma máquina igualzinha a sua e ameeeeii! Estou curtindo muito, espero que você também. Abraço!